A polêmica sobre o desmilinguido Festival de Música de Itajaí

Recebo por e-mail um novo texto do músico Paulo Roberto Domingos, onde ele responde a uma declaração do jornalista Thiago Floriano, reponsável pelo site Cotidianas, o qual afirmara ser “puro factóide” a informação prestada pelo músico e veiculada neste blog e no menino que não machuca, de que  a edição do Festival de Música de Itajaí deste ano, teria sido cancelada.

Thiago, filho do assessor de imprensa do Porto de Itajaí, Magru Floriano,(ex-blogueiro que se notabilizou pela oposição ferrenha ao ex-prefeito Volnei Morastoni e ao Partido dos Trabalhadores, fazendo críticas ao governo Lula, chegando a declarar ser o governo do presidente Lula “um governo só de placas…” ) assim se manifestou em seu site:

 
setembro 23, 2010 às 16:42 | Responder
Até onde eu sei, isso é puro factóide e tem cheiro de estratégia eleitoral…”

Segue o texto do músico, preocupado com o fim do Festival de Música de Itajaí:

Eu, Paulo Roberto Domingos, posso afirmar é que não se trata de nenhum factóide.
Deixo aqui bem claro que não tenho nenhum envolvimento com nenhum tipo de agremiação partidária,
as pessoas que me conhecem deste longa data, sabem muito bem disso.
 
Até onde eu sei, e posso dizer que convivo bem de perto com a situação já que o Conservatório de Música Popular de Itajaí
é responsável pela elaboração do Festival, que se trata de algo concreto. O projeto do Festival sim está pronto, oficinas, shows, professores,
só que infelizmente, a Fundação Cultural que deveria cuidar da parte de captação de recursos, não fez a sua parte.
Parece que para a Fundação, a realização ou não do festival é algo irrelevante.
 
Como cidadão itajaiense, formando neste ano de 2010 em canto do Conservatório de Música Poupular de Itajaí,
e envolvido há mais de 20 anos na área de música, mais especificamente na área do canto coral,
tenho todo o direito de me manifestar livremente sobre o meu descontentamento referente à não realização
de um Festival do qual participo desde o ano 2000.
 
Este foi o motivo que me levou a escrever para o forum cultural, para demonstrar minha indignação
e tentar mobilizar os músicos da cidade, para que eles não fossem pegos de surpresa semanas antes,
com o aviso de que o Festival não se realizaria.
 
O que escrevi no e-mail enviado à este forum cultural, foi o só que nós foi passado no conservatório de música.
Alunos e professores tiveram o mesmo tipo de informação, de que o festival não ser realizaria porque os recursos necessários não foram captados.
Agora não cabe a mim dar explicações, e sim ao superintendente da fundanção cultural, e a comissão que foi criada exclusivamente
com o objetivo de captar recursos para a realização do festival. O que esta comissão fez desde o final do ultimo festival que até a presente data
não conseguiu captar a verba necessária?
Isto continua sendo um grande mistérios, que como disse antes, não cabe a mim explicar.
Aqueles a quem foram delegagas estas atribuições é que devem vir à publico,
e tentar explicar os seus motivos.
 
Duvido que a situação se reverta, pois esta sucessão de adiamentos e remarcação de datas,
me parece um descaso com os professores que viriam ministrar as  oficinas, isto sem falar nos shows nacionais
que certamente tem suas agendas e não podem ficar a mercê da falta de organização da Fundação Cultural de Itajaí.
 
Dito isto, creio que fica bem claro que o fato de eu ter trazido à publico este fato,
não me torna responsável por algo que cabe unica e exclusivamente
à Fundação Cultural de Itajaí.
 
 
Paulo Roberto Domingos

 

Anúncios

5 pensamentos sobre “A polêmica sobre o desmilinguido Festival de Música de Itajaí

  1. Gerd, só para constatar. Tu já notou que as placas de obras do PAC em Itajaí estão sem o selo do Governo Federal? Porque será? Perguntar não ofende né, ofende?

  2. o certo e o que a gente esta vendo:

    nada!

    eh como se nao tivesse ninguem dirigindo o dirigivel. Ele ainda pode explodir e ninguem joga o chapeu.

    E ruim de alguem sair, entregar o cargo e perder aquele salario garantido.

    socorro!

  3. Meu caro Thiago Floriano

    Esta será a ultima vez que me manifesto sobre este assunto.

    Volto a dizer, tenho 45 anos, sou músico nesta cidade no mínimo
    há 20 anos. Nunca, reitero, nunca estive à serviço desta ou daquela
    administração, pois meu objetivo sempre foi cultural e não político partidário.

    Entendo perfeitamente todos o trâmites envolvidos na captação e liberação de recursos de um envento como estes.

    O que realmente me deixa indignado, é que nos queiram fazer
    crer na viabilidade da realização do Festival para o mês de novembro deste ano.

    Você sendo jornalista, sabe que eventos deste porte realizados por
    uma administração pública, passam por licitações. Você acredita honestamente que existe tempo hábil para se captar verbas, e se licitar e fazer contratações de shows, professores, parte logística (sonorização, arte gráfica, iluminação, divugação, hospedagens) num período de 30 a 40 dias?

    Ou então, como já sim foi cogitado, o adiamento para o mês de dezembro de um evento que já deveria ter acontecido em setembro?
    Isto seria pior ainda do que a não realização do festival, pois nesta época
    do ano, todos já tem seus compromissos agendados no mínimo desde a metade do ano. Fazer algo por fazer seria pior do que não fazer nada.

    O que eu, como acredito que boa parte dos artistas desta cidade reinvidicamos, é transparência nas informações.
    Se não é possível que o festival se realize este ano, que se diga claramente. Sejamos honestos.

    Agora, tentar passar a idéia de que o 13 Festival de Música de Itajaí será realizado em novembro deste ano, com a falta de tempo hábil e todas as dificuldades técnicas citadas acima, isto sim,
    é um insulto à inteligência de toda a comunidade cultural Itajaíense.

    Abraços

    Paulo Roberto Domingos
    E-mail: prdomingos@gmail.com

    P.S. Tenho muito respeito pelo seu pai, que foi meu professor
    na primeira turma do curso de jornalismo da UNIVALI.
    E em nenhum momento citei o seu nome ou me dirigi à ele
    de forma desrespeitosa.

  4. Triste que o Paulo não coloca o email de contato pra eu poder falar com ele. Ta tudo explicado lá no Cotidianas, não adianta tirar as coisas do contexto. Segundo a Fundação Cultural, o Governo do Estado não repassou até agora a verba de R$150 mil e o Governo Federal só entregou a carta de captação dos recursos na ordem de R$687 mil em julho. Foram apenas 2 meses pra fundação captar e as empresas repassarem a verba. O Agê garantiu que algumas empresas já se comprometeram, mas só vão depositar no começo do mês de outubro. Ou seja, a responsabilidade do atraso é compartilhada entre governos municipal, estadual E FEDERAL… não adianta querer começar com falácias de que é incomPTência do município… Abraço

    PS: Se querem falar mal de algo que eu escrevo, entrem no mérito da questão. É um insulto à inteligência do leitor tentar ligar meu pai ao que eu escrevo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s